Albergues.jpg

Albergue: Casa do Sardão (Carreço) Caminho Português da Costa Santiago

ACOLHIMENTO DE PEREGRINOS

O acolhimento de peregrinos é uma tradição milenar. Em quase todas as religiões existem relatos da generosidade no acolhimento de peregrinos. Os albergues e locais de acolhimento são muito mais que um local espartano para descansar o corpo, ao fim do dia, por um preço económico. Os melhores albergues são espaços criados por peregrinos, que entendem, na perfeição, aquilo que cada peregrino precisa: um banho, lavar e secar a roupa, cozinhar, comer, partilhar, descansar, dormir num ambiente limpo. Se o local for bonito e tranquilo ainda melhor.

Os Hospitaleiros (quem acolhe) podem ser voluntários ou profissionais.
Têm a nobre missão de acolher peregrinos e manter o espaço funcional, para que possam continuar a acolher. Não são empregados, são Hospitaleiros, que diariamente recebem peregrinos: alguns cansados, outros alegres, outros ainda demasiado alegres, silenciosos, à procura de alguém para falar, apaixonados, amigos, amigos chateados, doentes, com fome e sede, chatos, com experiência de caminho, pela primeira vez, agradecidos, que não falam nenhuma língua que se entenda...
Ajuda o Hospitaleiro a sentir que a sua missão é realmente importante para os peregrinos. Pergunta-lhe em que podes ajudar. Se algo precisar de ser melhorado, primeiro fala com o Hospitaleiro para entenderes o que está por trás do problema. Esta ligação explica a vida de uma Hospitaleira. Se tiveres coragem peregrina e disponibilidade, quando regressares, oferece-te como Hospitaleiro voluntário num albergue.

 

Enquanto peregrino, tens o dever de deixar o albergue como o encontraste ou melhor do que o encontraste, ajudando em alguma tarefa de limpeza ou manutenção. Recorda que as asneiras de um peregrino podem fechar a porta a centenas de peregrino. Simples: “o peregrino não exige, agradece.”

Quando os albergues estão cheios, estão fechados ou não existem alternativas... é altura de ser humilde e pedir acolhimento. Este é um dos maiores desafios para quem peregrina há séculos. É tão antigo o desafio de acolher peregrinos, que a Igreja Católica tem inscrito nas "Obras de Misericórdia" a serem praticadas pelos seus fiéis "Dar pousada aos peregrinos". 

Se nenhuma porta se abrir, não desanimes, pode ser uma experiência inesquecível. Quando começares à procura de local para pernoitar, recorda aquela família que, há 2021 anos, procurava um local para a peregrina Maria dar à luz o Menino Jesus.

carimbo_a.jpg
base_opcoes_menu_c.jpg

ACOLHIMENTO PEREGRINO...

Os albergues públicos: apenas acolhem peregrinos  com credencial e a maioria funciona por donativo. Têm cozinha, tanque da roupa, estendal, casas de banho com duche e camas. O peregrino deve levar o seu saco-cama e almofada. Os colchões são forrados a napa por questões de higiene. A grande vantagem destes albergues é que todos os que ali pernoitam têm as mesmas necessidades e existe uma sintonia peregrina. Não têm fins lucrativos. Não podem ser feitas reservas.

Os albergues privados: acolhem peregrinos e outras pessoas. Tipicamente têm as mesmas características que os albergues públicos, mas em versão melhorada. Por exemplo, podes optar entre o tanque da roupa e o serviço pago da máquina de lavar e as camas têm lençóis com almofada. Podem ser feitas reservas.

Casas paroquiais e Igrejas: para pedires acolhimento nestes locais, deves falar com o Padre ou o responsável e explicar com humildade que és peregrino, por que estás ali, para onde te diriges, onde dormiste na noite anterior, mostrar a tua credencial, ter a tua esteira para fazer de colchão. Se a "porta não se abrir", experimenta falar ao Padre ou ao responsável sobre a obra de misericórdia "Dar pousada aos peregrinos" - talvez mudem de opinião. Não deves fazer exigências e aceita com humildade a "porta que não se abre"... 

Bombeiros, Autoridades, Militares: para pedires acolhimento nestes locais, deves falar com
o responsável e explicar com humildade que és peregrino, por que estás ali, para onde te diriges, onde dormiste na noite anterior, mostrar a tua credencial, ter a tua esteira para fazer de colchão. Não deves fazer exigências e aceita com humildade a "porta que não se abre"... Recorda que o acolhimento por parte destas entidades não depende só da vontade de com quem falas. Existem hierarquias e várias contingências que podem limitar ou impedir o acolhimento. Exemplo: os bombeiros na época de fogos.

Casas particulares: Deves somar a tudo o que foi escrito acima algumas regras importantes: deves bater à porta, de prefêrencia de dia, e esperar do lado de fora. Inicia uma conversa estilo Sopa da Pedra, "Sou peregrino, rumo a Fátima, por acaso conhece algum lugar que acolha peregrinos..." Depois usa a tua criatividade para apelar à generosidade dos donos da casa. Oferece algo em troca: uma canção, lavar a loiça, fazer o jantar... Deves ter em conta que algumas pessoas não te vão acolher, devido aos medos que as séries de televisão e jornais semeiam nas nossas cabeças. Mas para provar que é possível dormir em casas particulares, sem haver trocas comerciais, recomendamos-te que assistas à série Francesa sobre o assunto Nus & Culottés. Quando estiveres instalado, telefona a alguém conhecido e diz-lhe onde estás. Duas recomendações finais: se tiveres qualquer dúvida ou desconforto sobre as intenções de quem te acolhe, despede-te ou deixa uma nota e sai, a qualquer a hora; Pede a quem te acolhe que proceda de forma idêntica (pedindo-te para saíres), em caso de qualquer dúvida ou desconforto.

Exterior: quando todas as portas se fecham, abre-se o céu. Sê positivo e pensa em tudo o que podes aprender com essa experiência. Quase sempre os maiores inimigos vão ser as melgas, os filmes que viste na televisão e as lambidelas dos cães na tua cara, ao amanhecer. O coração vai bater mais forte, como se a tua sobrevivência dependesse de um tecto. Não depende. Para combateres os medos de décadas de televisão e cinema assiste à serie Nus & Culottés. Recomendações para dormir no exterior: não deves dormir no exterior em zonas urbanas. Continua a caminhar até chegares a uma zona rural e certifica-te que não estás a ser seguido. Para evitares chamar a atenção, deves escolher a zona para dormir depois de  cair a noite. Conforme a estação do ano, procura uma zona abrigada. Não te escondas e se passar alguém não fiques passivo, toma a iniciativa de informar que és peregrino. É possível que as autoridades te abordem. Explica e identifica-te. Diz que estás a descansar e que, quando nascer o dia, vais prosseguir. Como as autoridades têm muitos peregrinos entre as suas fileiras, é possível que acabes por ser acolhido por algum deles. Não deixes alimentos acessíveis, para não atrair animais. Usa a esteira, se estiver frio usa várias camadas de roupa, usa o poncho à volta do saco-cama, usa um gorro para aqueceres a cabeça, deixa tudo dentro da mochila e dorme ao seu lado, num local plano. Telefona a alguém conhecido e diz-lhe onde estás. Não faças fogo para te aqueceres. Não podes acampar com tenda, é proibido. Em caso de emergência, telefona para o 112. Funciona com qualquer rede, mesmo que a tua rede não esteja operativa, sem saldo ou cartão SIM. A bateria do telemóvel funciona melhor quando está quente, dorme com o telemóvel junto a ti. Acorda cedo, deixa tudo limpo e prossegue o caminho. Não vais esquecer esta noite e, se calhar, vais querer repetir. 

Carimbo de Credencial 

MAPA DOS ALBERGUES

Usa este mapa interactivo dos albergues no Caminho, para organizares as tuas dormidas na peregrinação. Este mapa ajuda-te a encontrar a localização dos albergues, relativamente ao Caminho. Começa por carregar no quadrado, no canto superior direito (seta), para maximizar o mapa. Utiliza os botões + - no canto inferior esquerdo para ampliar o mapa. Toca duas vezes nos ícones das "casas verdes" para leres informação detalhada sobre cada albergue.

 
albergues_base_site.jpg

(Rovisco II)

"O Caminho é como a vida
distrais-te e ficas perdido."

GUILHERME_LUISA.jpg

Descanso no Albergue do Porto da Luz

 

DIRECTÓRIO DE ALBERGUES

Neste directório podes encontrar a lista de albergues públicos e privados, com informação detalhada. Usa a faixa de scroll (cinzento) ao lado da seta azul abaixo, para encontrares outros albergues e outros caminhos. Se conheceres outros albergues que consideres que devem constar nesta lista, por favor escreve-nos uma mensagem, indicando a localização e contactos.

---------------------------

---------------------------

(Ditado popular)

"Muito pode quem quer..."

aurelio4a.jpg

Paragem de um peregrino para comer e recuperar forças

FORMULÁRIO DE RECOMENDAÇÕES
DE ALBERGUES

 

Antes de votares neste formulário, deves tomar conhecimento e aceitares os seguintes termos: ao votar num albergue neste formulário, estás a dizer aos outros peregrinos que o local é realmente especial. Se consideras que algum albergue deve melhorar em algum aspecto, por favor entra em contacto com o albergue e faz uma crítica construtiva. Faz parte da solução, não do problema. Só pode votar quem pernoitou no albergue, durante o ano da peregrinação (de Janeiro a Dezembro). Deves indicar o número de registo atribuído à tua credencial da Associação de Amigos dos Caminhos de Fátima. (Não são aceites outras credenciais, por não conseguirmos autenticar o seu registo). Com esta votação queremos distinguir quem acolhe com "Espírito Peregrino", quem cuida dos peregrinos nos dias frios de inverno, quem vai ao caminho ajudar os peregrinos nos dias de calor tórrido, quem distingue Peregrinos de turistas, quem conhece o Caminho, quem mantém os albergues limpos, quem vê o acolhimento como acto de reciprocidade, quem partilha aquilo que tem. 

Notas importantes: Os dados desta votação servem apenas para autenticar esta votação, não são cedidos ou vendidos a terceiros (entidades ou particulares). Não receberá qualquer contacto nosso. Cada peregrino só pode votar em 3 Albergues por ano. As fraudes na votação implicam que o peregrino/a seja banido deste site.

Ficam excluídos desta votação: Albergues e acolhimentos fora das rotas assinaladas neste site como Caminhos de Fátima, proprietários de locais de acolhimento de peregrinos, hospitaleiros.

 

VOTAÇÃO

---------------------------

casa_das_raposas.jpg

Descanso no Albergue Casas das Raposas

RESULTADOS DA VOTAÇÃO DOS ALBERGUES

 

Esta lista de Albergues é o resultado da votação da comunidade peregrina. A votação é realizada pelos peregrinos com credencial da Associação de Amigos dos Caminhos de Fátima, numerada, no ano da peregrinação. Esta é uma classificação positiva, criada para motivar e agradecer quem acolhe em "Espírito Peregrino". Obrigado por nos dizer quem o/a tratou bem no Caminho.
 




 

RESULTADOS

---------------------------

---------------------------

ibone.jpg

Flores da Rose e do Steve

 

ALBERGUES RECOMENDADOS

Nesta secção, partilhamos com a comunidade peregrina alguns albergues que, pelas suas características extraordinárias, ganharam a distinção anual de "Albergues recomendados" da Associação de Amigos dos Caminhos de Fátima.

Os albergues desta lista são pequenas peregrinações dentro da peregrinação, tranquilidade, partilhas inesquecíveis, vontade de regressar, paz, surpresas, novas sensações, generosidade e "Espírito Peregrino".

O objectivo desta lista não é promover o luxo nem o aumento da rentabilidade comercial dos albergues. É simples, peregrinos partilham com outros peregrinos onde foram muito bem acolhidos.

A distinção é atribuída a albergues públicos e privados, mediante verificação anónima da Associação de Amigos dos Caminhos de Fátima e por recomendações dos peregrinos, que tenham feito o Caminho com credencial da Associação, numerada no último ano, a partir da data de emissão da credencial, através de votação (+info).

Abaixo ficará a lista de albergues recomendados e uma breve descrição dos locais, para que a surpresa se mantenha até chegares. Não julgues à porta, pode ser que o melhor esteja no interior.

 

logo_aacf.jpg

TELEFONE GERAL:
+351 913 13 1300

PADRE RUI LOURO:
+351 926 905 165

QUEM APOIA:

logo_decathlon.png

Página web escrita em desacordo ortográfico

  • Facebook
  • YouTube
  • Pinterest
  • Instagram

© 2021 Associação de Amigos dos Caminhos de Fátima